Prefeitura não cumpre com vale-alimentação

  • on 16 dezembro, 2010
  • Entre os principais pontos dos acordos da greve ainda não cumpridos pela Prefeitura está a substituição da cesta-básica. O vale-alimentação teve seu projeto formulado em parceria entre o sindicato e Secretaria de Gestão de Pessoas e está definido desde o mês de outubro, mas até agora permanece emperrado na Secretaria da Fazenda. Segundo a Secretária de Gestão de Pessoas, Márcia Alacon, nos meses de janeiro, fevereiro e março, os servidores continuarão recebendo a cesta, pois o projeto ainda precisa ser votado na Câmara de Vereadores para viabilizar a licitação.

    Sem a votação do projeto, os servidores que seriam beneficiados com o aumento do teto salarial para recebimento do vale vão permanecer sem o benefício. São quase 2 mil trabalhares na faixa de R$ 1.300,00 a R$ 1.500,00. Consta ainda no projeto o fim das punições para faltas e atrasos, que acarretavam a perda da cesta e concessão do benefício para servidores com carga horária inferior a 40 horas semanais, que também só entrarão em vigor quando aprovado o projeto. O Sinsej tem cobrado incessantemente a secretaria de gestão de pessoas, mas por enquanto só tiveram respostas desencontradas.

    3 comentários:

    Angelica disse...

    Desde de outubro, sabendo que precisava ser votado... nada foi feito???????? Agora muitos já contavam com este vale alimentação... até quem já ganhava a cesta que no meu caso eu não utilizava pois não utilizava estes produtos (a minha era doada). Qual será a próxima desculpa? o abono de 220,00 também não será pago porque precisa de aprovação? No dia do acordo porque o Sindicato não acompanhou para que fosse o quanto antes encaminhado ou você não sabiam??? Fiquem "antenados" que pelo jeito esta Marcia é boa para enrolar, pois se estivesse a favor da categoria já teria providencia os tramites. Me desculpe mas as conquistas da greve pelo jeito vai resultar em nada......

    Sinsej disse...

    O projeto de lei para substituir a cesta-básica foi elaborado em uma parceria da Prefeitura com o Sinsej no mês de outubro. Desde lá, estamos cobrando que ele seja encaminhado para câmara de vereadores. Já enviamos vários vezes ofícios pedindo uma posição sobre o assunto, mas sempre retornam respostas evasivas. Sobre os abonos de R$220,00 eles estão garantidos por lei, a mesma lei que determinou o reajuste em três parcelas.

    Dc JURANDIR BORGES disse...

    hehehe este negocio ta uma piada vai não vai quando é pra encher os bolsos deles é rapidinho que eles dão um jeito de votar mas quando se trata de funcionários concursado hehehe fazem de proposito ainda bem que não pude votar no ano passado to livre desta e pro ano que vem tomara que toda esta cambada seja chutado de la que entre pessoas compromissadas com a verdade e dispostas a lutar pelos nossos direitos.