Estamos em Greve!

  • on 17 agosto, 2010
  • Está deflagrada a greve! A partir de segunda-feira, dia 23 de agosto, os servidores públicos de Joinville cruzarão os braços. Em assembleia, na noite desta terça-feira, os servidores decidiram por iniciar a greve por tempo indeterminado na próxima semana.
    Depois de cinco meses de negociação, a Prefeitura insistiu em manter o parcelamento da inflação, aterrizou os servidores com as pressões nos locais de trabalho e ainda não reconhece a paralisação dos trabalhadores no dia 13 de julho, mantendo o desconto deste dia que garantiu as únicas conquistas desta negociação.
    A partir desta quarta-feira o Sinsej estará organizando e atendendo todos os trabalhadores na sede do Sindicato.
    Agora é hora! Vamos conquistar mais! À luta!

    Estamos em greve!

    13 comentários:

    Nadiara disse...

    AGORA NÃO TEM MAIS VOLTA!!
    CHEGA DE MIGALHAS, NÃO ACEITAREMOS MAIS ISSO... SE O PREFEITO DUVIDA DE NÓS, MOSTRAREMOS A FORÇA QUE TEMOS E PARAREMOS JOINVILLE.
    FORÇA PESSOAL! ISSO NÓS TEMOS, VAMOS MOSTRAR!!!

    Anônimo disse...

    Precisamos de apoio do sindicato principalmente no paço municipal. A maior parte das pessoas com quem falei não quer entrar na greve por medo de represálias!

    No dia 13 já foi assim ... o paço praticamente funcionou normalmente.

    Prof nivaldo disse...

    Esta na hora de mostrar ao prefeito que os servidores são unidos, e se ele duvida disso mostraremos.....

    Força pessoal e não abaixem a cabeça... ADESÃO 100%

    Prof Josi disse...

    O momento é agora!! Ou lutamos, não apenas pelos reajustes, mas, principalmente, por dignidade!! O que esse prefeito tem mostrado que ele nunca, jamais, foi a favor dos servidores!!
    Suas jogadas políticas vem a mostrar isso!! A capacidade de jogar categoria contra categoria, usar o plano de saúde do servidor como mecanismos de manipulação é extremamente revoltante!!
    Ou LUTAMOS AGORA!! ou abaixamos a cabeça hj e sempre, pq não teremos mais dignidade pra reclamar de nada!!

    greve saude disse...

    Chega de enrolação! greve! salário digno e condições de trabalho!

    Anônimo disse...

    é agora !
    dando força à greve
    tenho certeza da vitória !
    ... falo com experiência em conquistas, inclusive com "" greve ""

    Anônimo disse...

    tenho certeza da vitória !
    temos de fortalecer o movimento,
    e falo com experiência em várias " greves " !
    até a vitória !!

    Anônimo disse...

    AGORA A UNIÃO FAZ A FORÇA!
    PROF. Mª LUCIA

    Anônimo disse...

    Leia o livro Opinião e Debate - pág.135 (Coletânea de Pronunciamentos e artigos publicados) e verão que é somente o que ele queria que estamos reivindicando...
    Do autor Carlito Merss

    Suas propostas e promessas de campanha sempre foram ótimas. Por que frustrar o povo desse jeito?


    Representante da Educação

    Anônimo disse...

    Agora é nossa hora de mostrar o que queremos... chega de ficarmos calados, humilhados. Somos servidores e precisamos ser valorizados.
    AGORA É GREVE!

    Profª Fabiana

    Anônimo disse...

    AGORA É GREVE SIM !! O SENHOR PREFEITO não quis negociar um salário dgno para a nossa categoria e de tdos os outros, agora chega de migalhas, PARABÉNS AO SINDICATO estaremos aderindo a greve COM TDAS AS FORÇAS, falo por experiência própria.
    Não foi isso que o SENHORE PREFEITO pregou durante toda sua campanha politica melhores salários para os servidores públicos, não pensa ELE que esquecemos das suas promessas. Bem ele mesmo sabe qto sofremos para ter um salário justo para a nossa categoria, qdo professor muitas greves participou e encentivou a população, ele já sentiu na pele o que hoje estamos sentindo não é mesmo SENHOR PREFEITO C A R L I T O /// Vc. pediu para ver a GHREVE pois estaremos fazendo, partiu da SUA ATITUDE de não nos atender os nossos pedidos junstos e dignos. 100% greve sim por tempo indeterminado.....

    Profº MARIS

    Anônimo disse...

    Leia o livro Opinião e Debate - pág.135 (Coletânea de Pronunciamentos e artigos publicados) e verão que é somente o que ele queria que estamos reivindicando...
    Do autor Carlito Merss

    PARA agora essa decepção quer dizer que no livro tdo pode e aceitar a nossa p´roposta de um salário mais digno agora não pode.
    QUE DECEPÇÃO SENHOR PREFEITO !!!

    VC. ESTÁ EXPONDO TODO O PARTIDO NESSA SITUAÇÃO, O QUE ESTÁ ACONTECENDO EM JOINVILLE COM CERTEZA ESTARÁ EM REDE NACIONAL, o nosso PRESIDENTE vai ficar feliz com a sua atitude E COITADOS DOS CANDITADOS A NOVA ELEIÇÃO DO PT, ´we uma pena POIS SUA ESPOSA está concorrendo , o Marquinhois, que lutou tanto pelo PT.
    AQUI EM JOINVILLE DE SEGUNDA- FEIRA EM DIANTE ADEUS - P T

    PROFº MARISTELA

    Anônimo disse...

    Parte do discurso de Carlito Merss:

    VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR PÚBLICO

    "A valorização do serviço público passa necessariamente pela valorização do servidor público. Nós acompanhamos com muita tristeza nos últimos anos [...] uma política deliberada de menosprezo e tentando eliminar toda possibilidade que os servidores públicos conseguissem fazer um trabalho decente para a coletividade, que é essa função. [...], temos, a partir de hoje, que cobrar do Executivo Municipal uma política salarial decente, para que o servidor municipal, que é quem realmente carrega o serviço da Prefeitura e da população em geral, seja novamente valorizado. Então, nesse sentido, cobraremos intransigentemente, a partir de agora, uma política salarial em que não sejam necessários reajustes que simplesmente vão peitar, tentar cobrir um pouco a defasagem. [...], nunca houve uma política salarial e os servidores públicos e a população têm que entender isso para que o serviço público seja valorizado, [...]."

    Prezado leitor(a), essas palavras foram ditas no dia 25 de janeiro de 1993, em pronunciamento na Câmara de Vereadores de Joinville por ninguém mais, ninguém menos, do que Carlito Merss, e estão registradas em seu livro "Opinião e Debate - Coletânea de Pronunciamentos e Artigos Publicados, na pág 135, ano de publicação: 2006. A conclusão é óbvia, entre o discurso e a prática há um abismo aparentemente intransponível, o qual só poderá ser superado pelo milagre político do comprometimento ético e moral com os interesses públicos.