Quase 3 milhões de trabalhadores vão às ruas na França

  • on 24 setembro, 2010
  • A possível aprovação das reformas previdenciárias levou 2,9 milhões de manifestantes franceses às ruas, segundo a central sindical CFDT, nesta quinta-feira (23). O movimento pressiona o governo para que a idade mínima de aposentadoria não seja elevada no país, de 60 para 62 anos. A alteração entraria entrar em vigor apenas em 2018. A paralisação afetou principalmente os serviços de transportes. Os primeiros reflexos foram sentidos nos trens intermunicipais ainda na noite de quarta-feira (22). A primeira primeira manifestação aconteceu em março e outra no dia 7 de setembro, com 2,5 milhões de trabalhadores dos setores públicos e privado.


    Fonte: Reuters

    3 comentários:

    Júlio César disse...

    Entendo que devemos estar antenados pelo que acontece em vários segmentos da sociedade, mas penso que deveriamos nos preocupar primeiro com nossos problemas, pois só poderemos ajudar alguém depois que soubermos cuidar de nós.
    Concordo que aposentadoria é coisa séria e penso também que só dá certo no modelo socialista.

    mindu33tata disse...

    Companheiro Júlio...

    Infelizmente o teu entendimento de classe é muito precário, um ataque a um trabalhador francês, é um ataque a um trabalhador aqui,e é função de um sindicato de luta, estar informando a categoria(que se espante voce Julio fazemos parte da classe trabalhadora)de todas as lutas que estão acontecendo, principalmente uma dessa magnitude, prova que as massas estão acordando.

    mindu33tata disse...

    Isso também prova a importancia da classe estar organizada, através de uma central sindical, como no nosso caso a CUT, que representa mais de 21 milhoes de trabalhadores.

    Tarcísio